Primeiro aeromóvel chega a Porto Alegre neste sábado

[:br]Veículo que ligará o aeroporto Salgado Filho ao Trensurb, na Capital, custou R$ 34 milhões

O primeiro veículo do aeromóvel, que ligará o Aeroporto Internacional Salgado Filho e a estação da Trensurb, chegará por volta de 8h deste sábado, em Porto Alegre. O equipamento será içado por guindastes para ficar posicionado na estação localizado na área da Trensurb. A operação comercial só deve ocorrer no segundo semestre. A composição para 150 passageiros começou a ser transferida da fábrica Ttrans, no município fluminense de Três Rios, na segunda-feira. Nesta quinta-feira, o caminhão especial com extensão de 26 metros pernoitou (14 metros é o comprimento do vagão) em Joinville, em Santa Catarina.

O caminhão traz o equipamento devidamente embalado por uma lona plástica azul para evitar danos à estrutura em fibra de vidro, escondendo o design e pintura em branco, vermelho e azul (da companhia de trens urbanos). O caminhão viaja a uma média de até 60 quilômetros por hora, seguindo regras de transporte do tipo de veículo. A medida atende legislação para carretas com o porte e tamanho que está sendo usada, proibidas de rodar à noite. O gerente de logística da Pacheco Logística, Newvani Cirolini Corrêa, descreve que a expectativa da chegada eleva o nível de cuidado da equipe. “Se der algum problema, a responsabilidade é nossa com repercussão enorme”, justificou.

O aeromóvel movido por propulsão a ar é inédito no Brasil. Até hoje apenas Jacarta, na Indonésia, instalou o equipamento, patenteado pela metalúrgica Coester, com sede em São Leopoldo. A unidade na Capital custou R$ 34 milhões. O diretor-presidente da Trensurb, Humberto Kasper, avisou que o veículo permanecerá protegido pela lona até começarem testes dos sistemas automáticos embarcados no equipamento. Antes de descobrir a atração, será feita revisão para garantir que as especificações cumpram o contrato. “Ele não sai andando como um carro”, justificou Kasper. O segundo vagão, para 300 passageiros, chegará entre maio e junho. Os dois custaram R$ 2,8 milhões.

 

Fonte: Jornal do Comércio

[:]

Compartilhe esta notícia
LinkedIn
Twitter
Facebook
WhatsApp

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Para mais informações, visite nossa Política de Privacidade.

Abrir bate-papo
1
Olá 👋
Podemos ajudar?