Autorizada instalação de hidrelétrica em Santa Fé

[:br]

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) concedeu licença de instalação para a construção de uma Pequena Central Hidrelétrica (PCH) no Rio Bandeirantes do Norte, na Bacia do Pirapó, entre as cidades de Santa Fé e Nossa Senhora das Graças, com capacidade para produzir 4,2 megawatts, o suficiente para abastecer uma cidade com cerca de 15 mil habitantes. O processo da PCH Salto Bandeirantes foi iniciado há 16 anos e permaneceu estagnado durante os oito anos do governo Roberto Requião (PMDB).

A licença foi entregue ao proprietário da empresa Santa Fé Energética, engenheiro Aldebaran da Cunha Naumann, pelo governador Beto Richa (PSDB) durante solenidade onde também foram entregues nove licenças ambientais para PCHs em outros pontos do Estado. No total, o potencial de geração desses empreendimentos pode chegar a 82,2 megawatts, quantidade referente ao consumo de cerca de 100 mil pessoas. O investimento é estimado em R$ 450 milhões.

O licenciamento para construção de pequenas usinas no Paraná estava suspenso desde 2003, mas foi retomado nos poucos meses do governo Pessuti e teve continuidade no governo Beto Richa, que há um ano criou uma comissão especialmente para rever os processos, fazer vistorias e viabilizar as licenças. Na comissão de trabalho estavam vários maringaenses, como o engenheiro químico Paulino Mexia, o engenheiro florestal Helverton Corino e a agrônoma Maria Mercedes Nardini.

De acordo com o diretor da Santa Fé Energética, as PCHs são uma modalidade de produção de energia limpa e promovem mínimos impactos ambientais. “As autoridades ambientais exigem que todos os aspectos envolvidos na construção sejam ambientalmente corretos, como a preservação das Áreas de Proteção Permanentes (APP), flora e fauna, além da reconstituição de matas ciliares”, destaca.

Aldebaran Naumann, que iniciou o processo para implantação da Salto Bandeirantes baseado na experiência dele em construção de barragens para usinas, diz que a obra poderá ser iniciada tão logo sejam concluídos os projetos executivos. Além de recursos próprios, a unidade será financiada pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

A empresa de Naumann tem outros três projetos de usinas já aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica e em análise pelo IAP, todos prevendo construção de PCHs no Rio Pirapó.

Fonte: Portal PCH

[:]

Compartilhe esta notícia
LinkedIn
Twitter
Facebook
WhatsApp

Utilizamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso site. Para mais informações, visite nossa Política de Privacidade.

Abrir bate-papo
1
Olá 👋
Podemos ajudar?